Lupus eritematoso cutâneo crónico – um caso clínico

Autores: 

Filipe Silva, Rita Azevedo, André Gonçalves, Cristina Vendrell, Mara Ferreira, João Cabral, Fernanda Paixão

Resumo: 
     Introdução: O Lúpus é uma doença mediada por auto-anticorpos e complexos imunes, com apresentação clínica variada, atingindo múltiplos órgãos e sistemas. As manifestações oculares são diversas e frequentes, nomeadamente olho seco, uveíte anterior, episclerite ou esclerite, vasculite retiniana, neuropatia óptica ou fenómenos vasculares oclusivos.
     Caso Clínico: Homem de 27 anos, sem antecedentes pessoais relevantes, recorreu ao Serviço de Oftalmologia por lesão palpebral do canto interno do olho esquerdo, com cerca de 2 anos de evolução, de aumento progressivo, por vezes sangrante e pruriginosa após exposição solar. O doente refere ter feito várias terapêuticas tópicas, sem melhoria. Ao exame objectivo apresentava uma lesão cutânea no canto interno do olho esquerdo, de aspecto infiltrativo difuso, de contornos irregulares, plana e descamativa. Foi feita biópsia incisional da lesão, que revelou aspectos compatíveis com Lúpus Eritematoso Cutâneo Crónico. O estudo analítico realizado revelou apenas uma ligeira diminuição da fracção C3 do complemento e a ausência de sintomatologia sistémica permitiu efectuar o diagnóstico de Lúpus Eritematoso Cutâneo Crónico. O tratamento efectuado consistiu em corticoterapia tópica e sistémica, assim como anti-maláricos sistémicos.
     Conclusão: Este caso salienta a importância que a biópsia de uma lesão cutânea pode ter na decisão terapêutica. As manifestações cutâneas palpebrais de Lúpus são raras, podendo ocorrer quer no Lúpus Eritematoso Cutâneo Crónico, quer no Lúpus Eritematoso Discóide. A raridade destas situações leva, na maioria das vezes, a um atraso no diagnóstico e na instituição do tratamento correcto, que geralmente passa por medicação sistémica. O acompanhamento regular destes doentes é mandatório, dado que o envolvimento sistémico pode ocorrer.

 

Apresentado: 
no 52º Congresso Português de Oftalmologia, Em Vilamoura, Dezembro de 2009